Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Off Pitch

Blogue do treinador Bruno Dias

Decisões estruturais e conjunturais

skysports-ole-gunnar-solskjaer_4536763.jpg

Nas organizações desportivas, aliás, na vida tomamos decisões a cada instante.

Muitas das decisões que tomamos estão no campo do inconsciente, passam a ser rotina, ou seja, estão automatizadas dada a ocorrência regular das mesmas e o impacto destas ser residual no quotidiano, acredita a maioria.

As decisões mais abrangentes que implicam a alterações mais visíveis e com maior impacto no percurso das equipas podem ser estruturais ou conjunturais.

Estruturais ou estratégicas ocorrem, ou devem ocorrer, poucas vezes no ano e com data pré-estabelecida. Como já referi anteriormente, exemplo é a contratação do treinador, nomeação do capitão de equipa, o orçamento para construir/reforço a equipa, entre outras. Fazendo a analogia com as organizações, além da natural contratação do CEO, a escolha dos líderes dos vários departamentos, o orçamento que cada um terá para desenvolver as suas atividades anuais.

Conjunturais ocorrem, várias vezes, ao longo do ano e implicam uma constante leitura do contexto, não obstante de procurarem corroborar as estruturais.

Exemplos destas são a escolha da equipa para cada jogo, a organização de um estágio ou alteração dos cereais que estão disponíveis para o pequeno almoço. Nas organizações, a escolha dos comerciais para trabalhar determinado canal de vendas, a escolha da sala para as reuniões semanais ou a alteração do produto de limpeza do chão.

As decisões estruturais visam a execução da estratégia da organização, devem ser duradouras no tempo, ao passo que as conjunturais visam a execução de atividades quotidianas que reforçam a implementação da estratégia adotada, são alteradas ao longo do tempo em função do contexto. Ambas devem corroborar a visão da organização.